Astrologia e as mudanças de opinião

Já falei aqui sobre o quanto gosto de astrologia. Meu signo solar é escorpião e sei que tenho pontos muito fortes dele na minha personalidade – como ser observadora, discreta e intuitiva –, mas há pouco tempo soube que temos muito também de nosso ascendente e consequentemente descobri que me identifico muito com ele também, que é gêmeos. Esse signo é muito conhecido por, obviamente, se tratar de multiplicidade, de comunicação, de visão ampliada e por gostar de mudar seja de lugar, de opinião e iniciar quantas vezes forem necessárias para fazer aquilo que aqueça seu coração, bingo, eu. Gêmeos troca muito de opinião, escorpião é profundo e gosta de conhecer as coisas em seu âmago e não é muito fã de mudanças, pensa no embaralho das ideias nesse aspecto? Mudar ou não, sigo nadando nesses mares profundos desse animal que me intui a me conhecer ou me permito ir mudando de ambientes buscando me encontrar? A verdade é que não há necessidade de optar entre um e outro, somos seres duais, acreditando que para ter um temos que abrir mão do outro, mas as coisas não funcionam dessa forma, e lhe digo mais, podemos, e merecemos, sim, ter o que nosso coração desejar.

Via como algo extremamente negativo mudar de opinião, gostava de coisas permanentes, se a pessoa era inconstante não me transmitia confiança – olha a loucura e o julgamento –, hoje uma das poucas coisas que afirmo é que minha opinião pode mudar a qualquer instante. Se me permitir aprofundar e saber sobre determinado assunto a ponto de considerar que a troca de opinião ali faça sentido, lá estarei eu. Volúvel? Pode até ser, mas bem no fundo, sabe o quê? Não estou nem aí para o que vão pensar, a única certeza da vida é a inconstância, e isso se encaixa também no fato de mudar de opinião. Não busco mais me definir e, posso lhe dizer?, isso me trouxe uma leveza, uma tranquilidade de levar a vida e sei também que quem eu era ontem pode já não mais fazer sentido para mim hoje, totalmente Raul e me permitindo ser uma metamorfose ambulante. Adoro poder me permitir ser várias diferentes, descobrindo coisas que amo e que antes detestava, percebendo coisas que antes não toleraria e hoje me fazem rir, e eu agradeço imensamente por gêmeos ser meu ascendente e fazer todas essas mudanças sem me sentir culpada. Isso é responsabilidade dele? Obviamente que não é somente dele, mas pode ser uma influência direta, e bem grande, dessa volatilidade, e eu posso colocar em quem eu bem quiser, não é?

Em outro artigo abordei sobre o fato de não se importar com a opinião alheia (link) e volto a repetir e frisarei aqui quantas vezes forem necessárias, por quê? Isso muito me limitou, durante um longo período – claro, bastante por conta da minha cabeça que permitia –, mas isso é tão perda de tempo e tem tão pouco a nos agregar, no caso, zero, que não gostaria que você postergasse sua evolução por levar em conta uma opinião que diz mais respeito ao outro do que sobre você. Não há problema algum em você decidir aos quarenta anos que não quer mais trabalhar com aquilo em que você é formado e agora quer começar um negócio próprio do zero, que incrível! Seja seu maior incentivador, não espere que alguém venha de fora e lhe diga que é por aí, as pessoas normalmente agirão com uma margem de segurança com receio de que você sofra – ou por não quererem que você se destaque e saia do nível mediano em que elas se encontram (xi, isso dá assunto até para outro artigo) –, mas sem os tiros no escuro, seguindo nosso coração, fica-se só na vontade sem saber como poderia ter sido. Pode ser meu ascendente querendo incentivar você? Pode sim, porque eu sempre acreditei que trabalhar com o que se ama faz as pessoas mais felizes. Você vai pensar que vivo em um mundo de ilusão, por mais que acredite que não, e por mim tudo bem, as coisas parecem ser bem mais leves por aqui.

Hoje não me incomodo quando alguém me fala que mudei muito, penso internamente: “Graças a Deus”, me permito fazer as minhas alterações pensando no que eu realmente quero, obviamente sem passar por cima de ninguém, meus princípios não mudaram porque minha personalidade foi se moldando ao meu momento atual. Falei sobre relacionamentos semana passada e aqui cabe retomarmos neste aspecto, pois, as pessoas mais distintas surgem em nossas vidas acrescentando tantos ensinamentos que não há como continuar o mesmo depois de algumas experiências vividas. Abrace a ideia de mudar seja de opinião, de estilo, de gostos, de vida! Ela está aí para ser experimentada e não para vivermos sempre de uma mesma maneira, isso é tão ultrapassado. Se permita ousar, se permita inventar a sua própria forma de pensar e ser feliz. Construa seus pensamentos respeitando antes de tudo a si e o que lhe faz bem. A forma como você se trata é a maneira como você ensina os outros a lhe tratarem, então, cuide-se com carinho, dê atenção ao que lhe faz bem e entenda o que você realmente quer nesse momento. Se tiver que começar de novo, comece, se for necessário fazer uma grande mudança na sua vida, FAÇA! Vá que, de repente, você também tenha o ascendente em gêmeos? E se não tiver, vá mesmo assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *