Em que momento do despertar estou? Fase 2 – Sincronicidade

Bem, como você acompanhou a fase 1 (se ainda não leu, aqui está), trata-se de notar que algo está diferente em você – mesmo que não saiba bem o que é – e ao seu redor, e você percebe que não há mais volta, mesmo que seu processo comece com algo muito sutil e sendo tão somente o início dessa trajetória que nos acompanha até deixarmos esse plano. Sim, o autoconhecimento nunca acaba, sempre há alguma aresta para aparar, mas não se desmotive, pois é algo enriquecedor e compensador se ver líder da sua própria vida. Caso você esteja nesse momento confuso, sem saber muito o que está acontecendo – como foi para mim –, ou mesmo se o seu início tenha sido fluido e sentir de compartilhar, deixe seu comentário, e se precisa de ajuda em algum sentido, comente também, o intuito do Inspirações é fazer com que as pessoas fiquem à vontade nesse espaço e partilharem suas experiências, que são únicas, enriquecedoras e têm muito a acrescentar. Vamos falar nessa segunda fase, de sincronicidade.

Retomando um pouco o artigo anterior para podermos continuar, passada a fase de dor, luto, veio a aceitação de que havia algo diferente e comecei a procurar entender um pouco mais o que estava acontecendo comigo. Fui em busca de coisas que ressoavam em mim, que me faziam sorrir ao ler, que me traziam paz, conforto e de alguma forma uma sensação de pertencimento. Aqui, nesta parte da trajetória, é algo muito particular por onde começar, quem seguir, o que ler, mas um detalhe importante a ressaltar é: não tenha pressa, não queira acelerar seu processo, aprecie cada passo, silencie e escute o seu coração para sentir suas reais necessidades que devem ser supridas naquele momento.

Como comentei anteriormente, iniciei com a meditação, ela falou mais alto, mas para você pode ser uma série de vídeos na internet que uma amiga indicou ou um livro que “caiu” na sua mão, como também um mentor. Reforço, não há necessidade de sair correndo atrás do tempo perdido e querer consumir tudo de uma vez, colocando todas as ideias em prática. Leia, veja, sinta, coloque em prática, reflita se aquilo de alguma forma ressoa em você e siga. Tenha um pouco de critério e deixe as coisas fluírem naturalmente. Não é porque serviu para diversas pessoas que é certeza de que servirá a você, não é porque todo mundo segue aquele mestre que você deve fazê-lo. Inicie sua jornada sem tentar se encaixar e deixe que as peças necessárias venham livremente. Esse é o lindo do processo, o que tiver que chegar até você vai achar um jeito desde que confie, mantenha-se no fluxo e não se limite.

A astrologia sempre me encantou, sou escorpiana – para quem não é muito ligado em signos, não imagina o quanto esse é julgado erroneamente –, adoro coisas profundas, apaixonada pelo oculto, por mistérios e assuntos esotéricos, e pensa em uma pessoa intensa… Esse foi um dos assuntos que muito me atraíram no início do autoconhecimento, algo me puxava para essa área que antes de tudo isso começar já prendia minha atenção. Então, uma coisa foi levando a outra, como dito antes, quanto mais informações chegavam, mais envolvida ficava e tudo ao redor parecia ressoar, florescer e contribuir para aquele momento. As sincronicidades foram minha segunda fase do despertar – aconteciam com uma frequência tão grande que nas primeiras vezes me assustaram. Eram números, assuntos, trechos de livros, informações que conversavam com sonhos e vice-versa, eu não comentava com ninguém mas sorria por dentro como uma confirmação de que aquele era o caminho, me dando mais força para seguir e ir ainda mais a fundo. Foi o que fiz. Meus pais achavam que eu estava ficando louca, então tudo bem se você aí do outro lado achar também, isso já não me incomoda mais. E se você se encontra nessa fase não deveria se importar também. Vão olhar para você diferente a partir do momento em que sair da bolha do pensar igual, pois choca – quem ainda está preso – quando você sai da roda. É aquela mistura de Deus me livre, mas quem me dera, kkk

Eu meditava, lia artigos, via vídeos na internet, seguia pessoas que sentia me conectar e nesse primeiro momento não gastei com nada. O que quero dizer com isso? Que você não precisa colocar empecilhos para iniciar, só quando eu comprar aquele curso vou conseguir despertar de forma plena, quando eu ler aquele livro tudo vai fazer sentido. Claro que existem inúmeras ferramentas que estão à disposição para nos auxiliar, mas nenhuma vai fazer o milagre, pois quem tem o poder de fazer acontecer é você. Logo, comece agora e com o que você tem. Se você tiver só a sua vontade e um celular, já tem o necessário. O acesso às mais diversas informações está a um clique, e tem muita coisa boa por aí esperando ser consumida.

O que aconselho é sempre colocar uma intenção bem definida, e genuína, antes de qualquer coisa. Sinta o que precisa ser desenvolvido no momento – mesmo que não saiba o que é – e peça para que o melhor e mais adequado à sua jornada chegue a você. Juro que fazia, e sigo fazendo isso, e é incrível ver o quanto as respostas chegam, seja através de mensagens, vídeos, pessoas, livros que vêm de encontro exatamente com o que preciso, eu rio sozinha, pulo e agradeço sempre. Aquilo faz todo o sentido para mim e, por mais que tente explicar a alguém – até a você que está nessa fase –, não vai soar tão sincrônico como na minha concepção, porque é algo particular assim como pode ser com você. Por isso lhe digo, se a sincronicidade está chegando, ou acontecendo na sua vida, aceite, agradeça e use-a a seu favor nessa caminhada da forma que você sentir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *