Você não precisa gostar de mim

Já começo avisando que o cerne do artigo é esse do título mesmo. Você não precisa gostar de mim para continuar lendo o que escrevo por aqui. Temos, mesmo que intimamente, o desejo que gostem de nós, ou que pelo menos pareçam desfrutar de nossa companhia, por muito tempo pensei dessa forma e queria aprovação externa até que entendi que mesmo que faça tudo que estiver ao meu alcance existirão aqueles que não irão gostar de mim. Em contrapartida, aprendi também que as pessoas que gostam ficarão felizes até com minhas tentativas então, penso que você já percebeu por qual ângulo optei por ver durante a caminhada, não é?

As pessoas não vão gostar de você, ou irão, por diversos motivos que dizem muito mais sobre elas do que sobre você. Cada um só é capaz de enxergar através daquilo que carrega dentro de si. Se nem todo mundo gosta de pizza, — meu prato predileto —, quem sou eu para achar que vou agradar a todos? E quer saber mais? Dane-se, já me enchi de máscaras para me adaptar a ambientes que se tivesse a consciência de hoje passaria a léguas de distância. O que acontece agora é que sou fiel a minha paz esteja ela onde estiver e fazer o que for necessário para tê-la presente. Porém, percebi um detalhe, algo que me recordo constantemente é que todos tem algo a ensinar independente de idade, cor, sexo ou religião e então me mantenho aberta para o novo e até de repente uma mudança de opinião, por que não?

Para aprender com as pessoas você não tem de necessariamente amá-las ou idolatra-las, têm muita gente aí sendo seu oposto, e exatamente por isso, com muito a lhe ensinar. Todavia você não se dá a oportunidade de ponderar aquela informação porque a outra pessoa tem uma atitude que você não compactua. Não se feche para novos ensinamentos só porque a outra pessoa tem, por exemplo, um viés político diferente do seu, abstrai aquilo que não te serve e se abra para absorver aquela compreensão aprofundada que outro tem e você não. Deixar de beber na fonte do conhecimento porque o outro pensa diferente de você é claramente o que te faz andar para trás. Se algo que eu disse através dos artigos fez você repensar, refletir, ponderar ótimo, o objetivo foi atingido de alguma forma, você não precisa concordar comigo para estar aqui e muito menos gostar da Josiane para continuar as leituras.

Escrever é uma forma de externar o tanto de informação e experiências que carrego, falo muito sobre mim, a forma que enxergo a vida, como me posiciono perante a ela e isso pode mudar a qualquer instante, seja por vivência ou porque me permiti um novo olhar. Viver faz nós mudarmos e quanto a isso estou sempre à disposição. Se eu lhe parecer contraditória tudo bem, desde que comecei a preferir a leveza da vida do que ter razão ou ser benquista tudo ficou mais suave e menos pesado. Eu quero agradar a mim, ser condizente com minhas palavras e ações para o meu bem-estar e mudar o tanto quanto for necessário. Se você está nesse barco também que maravilha, fico feliz em saber, porém se você me acha muito volúvel tudo mais do que certo também. Repito, você não precisa gostar de mim, e nem de ninguém, para aproveitar o que as pessoas têm a oferecer, leve isso para vida e absorva conhecimento de fontes inesgotáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *