As Despedidas

Autora: Jacqueline Mendes S. Echevarria, terapeuta holística e escritora

Na jornada da vida, algumas despedidas serão necessárias, sejam nos âmbitos pessoal, familiar ou profissional. Às vezes, não serão agradáveis e fáceis de lidar, principalmente quando envolverem entes queridos, pessoas importantes, ou seja, aquelas que estão no convívio diário, o que tornará mais dolorosa a compreensão e a aceitação do fato. Toda perda abre um vazio enorme no peito, uma espécie de ferida que nunca mais será cicatrizada, impondo que nada nem ninguém serão capazes de eliminar o forte sentimento gerador de dúvidas, culpas, medos e tantos outros pesares que surgirão no decorrer do tempo.

Como superar essa situação, se isso é possível? Como não pensar em injustiça divina? Na verdade, o que se precisa decifrar é a mensagem advinda do que foi vivido com a pessoa, selecionar os momentos mais importantes e montar uma espécie de caixinha das boas memórias, porque a vida tem que continuar o seu curso da melhor forma possível.

Poderia mencionar vários episódios, mas este caso verídico pode ajudar na reflexão: “Uma jovem senhora, sozinha há muitos anos devido a uma separação conturbada, busca no seu dia a dia um novo relacionamento, mas as inúmeras tentativas frustradas a fazem perder as esperanças, colocando-a em depressão, baixa autoestima e infelicidade. Certo dia, numa conversa pelas redes sociais, encontra uma pessoa com grande potencial para trocarem sentimentos e compartilharem suas vidas. Um homem generoso, simples, tranquilo, que manifestou vontade de interagir com ela de um jeito muito alegre. Assim foi, por cinco meses, um casal numa relação apaixonante, viril, livre de cobranças e expectativas para que juntos descobrissem o valor um do outro. Essa experiência trouxe para ambos mais confianças em si, coragem para realizarem muitas coisas que estavam esquecidas, resgatarem o amor-próprio. Infelizmente, o rompimento inesperado entre eles aconteceu por causa de um infarto. Ele sentiu-se mal sem tempo para buscar assistência, tornando a despedida repentina sem chances de tempo hábil para fortalecerem laços. Diante disso, inevitavelmente, a tristeza tomou conta numa proporção considerável, que abalou toda a estrutura física e emocional dela, mas ainda assim a fez perceber a mensagem grandiosa sobre o valor da vida, a importância do caminho a ser percorrido, o poder das oportunidades e das conquistas, bem como o direito de ser feliz. Então, ela continuou acreditando no amor e nas pessoas, porque o que realmente importa é viver bem consigo, mesmo que o cenário seja desfavorável. ”

Ademais, a confiança pode transformar o Ser, mas é a gratidão que fortalecerá a sua Essência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *